Bitcoin termina o ano com queda de 60% - o que esperar para 2023?

1 year ago 97

2022 foi um ano desagradável para aqueles que esperavam que o Bitcoin subisse, no entanto, foi um ano de oportunidade de comprar a moeda digital, já que ela caiu 65% ao longo de 12 meses.

De acordo com a plataforma de análise de comportamento do mercado de criptomoedas Santiment, 2022 solidificou indiscutivelmente a tese de que os eventos de notícias impactam o mercado. 

A empresa observou quatro eventos que influenciaram e continuam a influenciar os preços dos ativos digitais. Isso inclui a pandemia, o colapso da FTX, as taxas de juros aumentando no mundo todo e a guerra da Rússia com a Ucrânia.

As tensões geopolíticas na Europa e os aumentos das taxas de juros – ocorreram durante grande parte do ano, derrubando o Bitcoin várias vezes na medida em que mais informações eram divulgadas ao público.

O mercado respondeu a vários aumentos nas taxas de juros do Federal Reserve. O último aumento de 0,5 ponto percentual nas taxas foi implementado no início de dezembro, fazendo o Bitcoin cair mais uma vez.

O colapso da criptomoeda Terra(Luna) e da corretora FTX tiveram efeitos semelhantes nos sentimentos do setor.

No geral, o mercado de criptomoedas perdeu mais de US$ 2 trilhões em valor de mercado em 2022 e as principais criptomoedas, como o Bitcoin e o Ethereum, caíram muito abaixo de suas máximas de 2021.

Veja quanto o valor de sete criptomoedas populares mudou em 2022, de acordo com os cálculos do Livecoins.

  • Terra: -99%
  • Solana: -93%
  • AMP: -93%
  • Cardano: -80%
  • Ethereum: -67%
  • Bitcoin: -63%
  • Dogecoin: -55%

Annus horribilis

2022 será provavelmente lembrado como um dos anos mais difíceis para o mercado das criptomoedas, apesar de ser um ano em que as moedas digitais se tornaram mais populares, com grandes empresas apostando pesadamente no setor, com um desastre após o outro, 2022 acabou sendo um ano catastrófico para o ecossistema.

Entre todo o caos e queda de muitas exchanges cripto e projetos, os maiores perdedores foram os investidores. Se a queda do mercado em baixa não fosse suficiente, milhões de investidores em criptomoedas que tinham seus fundos na FTX perderam suas economias da noite para o dia.

A criptomoeda Luna, que tinha um mercado de US$ 40 bilhões - foi uma das cinco maiores criptomoedas por capitalização de mercado. Com milhões de clientes investidos no token, o colapso reduziu o investimento das pessoas a zero em poucas horas.

2022, portanto, entrará para a história das criptomoedas como um annus horribilis. Os investidores provavelmente vão querer esquecer o ano e começar de novo. Após um período tão tumultuado, um resultado provável será a aceleração das regulamentações do setor ao longo de 2023. Isso pode restaurar parte da confiança perdida na indústria.

O que esperar para 2023?

David Marcus, fundador e CEO da empresa de criptomoedas Lightspark, decepcionou os touros com suas perspectivas para os próximos anos. O executivo afirmou que o Bitcoin não será capaz de se recuperar das crises causadas por empresas fraudulentas até pelo menos 2024.

Já se passaram dois meses desde que a corretora FTX entrou em colapso, mas o efeito dominó continua abalando o setor.

Marcus acreditava que os efeitos da outrora terceira maior criptomoedas do mercado assombrará a indústria muito além de 2023. Embora tenha mencionado a FTX apenas uma vez, ele disse que “players sem escrúpulos” arrastarão o mercado para baixo muito além de 2023.

A few predictions for 2023: “Out with speculators, in with builders”. Spoiler alert, we’re going into another tough year, but there will be silver linings along the way https://t.co/6Vg0RwIfEh

— David Marcus ⚡ (@davidmarcus) December 30, 2022

Entre os players que falaram sobre previsões para 2023, está a gigante de investimentos ARK Invest, cuja CEO, Cathie Wood, não mediu palavras ao reagir aos eventos de quase dois meses atrás.

"A blockchain do Bitcoin não perdeu o ritmo durante a crise causada por players centralizados. Não é surpresa que Sam Bankman Fried não gostasse do Bitcoin: é transparente e descentralizado. Ele não poderia controlá-lo", afirmou Wood através de um tweet amplamente divulgado em meados de dezembro.

Enquanto isso, em termos de ação de preço, as opiniões continuam divergindo sobre como o primeiro trimestre de 2023 pode se desenrolar.

Se você pensou que o mercado de ações teve um ano ruim, dê uma olhada em como o mercado de criptomoedas se saiu. Com base nos dados do CoinMarketCap, o valor agregado de mais de 22.100 moedas digitais caiu de quase US$ 3 trilhões em novembro de 2021 para menos de US$ 795 bilhões no final de dezembro de 2022. Isso representa uma queda de cerca de 74% em menos de 14 meses.

Embora não seja possível citar nenhuma corretora específica, há muitos sinais de alerta de que a FTX não foi a última corretora cripto a falir. A empresa de auditoria Mazars disse no mês passado que parou de trabalhar com empresas de criptomoedas. A lista de clientes para os quais ela forneceu seus serviços inclui a Binance, Crypto.com, KuCoin e outras.

Sendo assim, é possível que vejamos mais uma grande empresa quebrando e derrubando o preço dos ativos digitais.

Seguindo as previsões, espera-se que o banco central dos EUA, o Fed, pare de aumentar as taxas de juros no primeiro trimestre do ano. Isso pode ajudar a impedir que o mercado de criptomoedas caia ainda mais.

No entanto, o fundo do Bitcoin pode ser de cerca de US$ 10.000 ou um pouco mais baixo. Isso ocorre porque o mercado de ações, altamente correlacionado ao mercado de criptomoedas, ainda não atingiu seu fundo e deve cair mais 30%, de acordo com analistas do setor.

2023, portanto, pode ser mais um ano difícil para o Bitcoin e demais criptomoedas. O que vai acontecer, no entanto, ainda está para ser visto.

Read Entire Article