Clientes da FTX querem mais informações sobre planos da exchange para vender suas subsidiárias

1 year ago 57

Embora o grupo de 18 clientes não queira impedir que as vendas ocorram, eles argumentam que precisam estar informados para garantir que os interesses dos usuários da exchange sejam representados.

Clientes da FTX querem mais informações sobre planos da exchange para vender suas subsidiárias

Um grupo de clientes da FTX apresentou uma objeção limitada ao plano da FTX de vender quatro subsidiárias operadas de forma independente, argumentando que eles deveriam estar a par do processo para garantir que os interesses dos clientes sejam representados.

O grupo também compartilhou preocupações de que os “fundos desviados de clientes” possam ter sido usados para adquirir ou manter essas empresas funcionando.

A objeção limitada foi apresentada em 4 de dezembro por um comitê ad hoc de clientes de fora dos EUA, que compreende 18 membros. Coletivamente, eles têm reivindicações superiores a US$ 1,9 bilhão contra a FTX.

Em sua objeção, o comitê argumentou que as declarações públicas anteriores da FTX, da Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) e da Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) deixam claro que os ativos pertencem aos clientes e não à FTX.

O documento diz que havia “preocupações significativas com a falta de informações sobre a venda das subsidiárias” e também questionou se as empresas podem ser “necessárias para um possível recomeço” da FTX.

Uma objeção limitada é semelhante a uma objeção, exceto que se aplica apenas a uma parte específica de um determinado processo. Nesse caso, a objeção limitada se deve à exclusão do comitê ad hoc do processo de venda.

Ad Hoc Committee is the first I've seen mention a potential FTX restart to the court - one of the reasons they list for filing they limited objection to FTX's planned sales of solvent subunits. pic.twitter.com/7TCW3WwRm0

— FTX Creditor (@AFTXcreditor) January 5, 2023

O Comitê Ad Hoc é o primeiro que vi mencionar no tribunal um possível recomeço da FTX - é uma das razões pelas quais eles justificam sua objeção limitada às vendas planejadas de subunidades solventes da FTX.

— FTX Creditor (@AFTXcreditor) 

O comitê pediu ao juiz que permita que eles atuem como “profissionais de consultoria” para que possam garantir que os interesses dos clientes sejam representados durante todo o processo de licitação, acrescentando:

“O Comitê Ad Hoc não procura impedir as transações de maximização de valor que os Devedores possam realizar, desde que os interesses dos clientes da FTX.com sejam protegidos.”

De acordo com os procedimentos de licitação propostos, apenas profissionais de consultoria poderão comparecer ao leilão e consultar a FTX sobre questões relacionadas ao processo de venda. O comitê observa que as partes consultadas não têm controle sobre o processo além de poderem fornecer aconselhamento.

Em 15 de dezembro, a FTX pediu ao tribunal de falências permissão para vender as suas filiais europeia e japonesa, além da exchange de derivativos LedgerX e da plataforma de compensação de ações Embed.

A LedgerX, em particular, foi saudada como uma história de sucesso durante o processo de falência. O presidente da CFTC, Rostin Behnam, observou que a empresa havia sido essencialmente “isolada” de outras empresas do FTX Group e “mantinha mais dinheiro do que todas as outras Entidades devedoras da FTX combinadas.”

Na semana passada, o mesmo comitê pediu que os nomes dos clientes e suas respectivas informações privadas fossem retirados dos documentos judiciais, sugerindo que os clientes poderiam ser expostos a roubos de identidade, ataques direcionados e “outros danos.”

LEIA MAIS

  •  

Read Entire Article