Com salário inicial de R$ 21 mil, novos Procuradores da Fazenda Nacional serão obrigados a ter conhecimento de Bitcoin e blockchain

1 year ago 129

Os novos Procuradores da Fazenda Nacional serão obrigados a ter conhecimento sobre Bitcoin (BTC) e blockchain de acordo com uma publicação no Diário Oficial da União.

Com salário inicial de R$ 21 mil, novos Procuradores da Fazenda Nacional serão obrigados a ter conhecimento de Bitcoin e blockchain

Os novos Procuradores da Fazenda Nacional serão obrigados a ter conhecimento sobre Bitcoin (BTC) e blockchain de acordo com uma publicação no Diário Oficial da União. A exigência foi estabelecida pela Advocacia Geral da União na abertura de um processo seletivo para a contratação de novos profissionais para a instituição.

O conhecimento em blockchain e criptoativos faz parte das materiais relacionadas ao Direito Administrativo.

"[...] 44. Novas tecnologias no Direito Administrativo: blockchain, smart contracts e criptoativos. Sandbox regulatório (Lei Complementar 182/21). 45 Ciclo de políticas públicas: formulação, execução, monitoramento e avaliação. Instrumentos de implementação: transferências obrigatórias, transferências voluntárias e parcerias com a sociedade civil da Lei nº 13.019/2014", destaca a publicação.

Na nova seleção da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional devem ser contratados cerca de 100 novos procuradores e formação de cadastro reserva. A remuneração inicial é de R$ 21 mil. 

Candidatos interessados em participar do novo Concurso PGFN Procurador poderão realizar as pré-inscrições no período de 9 de janeiro de 2023 até 7 de fevereiro de 2023, por meio do site da banca organizadora Cebraspe. A taxa de inscrição está fixada em R$ 180,00.

Blockchain em concursos públicos

Desde pelo menos 2017 conhecimentos em blockchain e criptomoedas são requisitados em concursos públicos pelo Brasil. Na carreira bancária praticamente todas as instituições pública pedem conhecimento em criptoativos.

Além disso, desde 2020, o concurso público para preenchimento de vagas no Itamaraty, considerado um dos mais difíceis do Brasil, exige amplo conhecimento sobre o mercado de criptoativos e a tecnologia blockchain. Segundo o Estratégia Concursos, a temática deve ser cada vez mais cobrada em certames do poder publico.

LEIA MAIS

Read Entire Article