Demissões continuam: Salesforce vai cortar 10% dos funcionários e fechar alguns escritórios

1 year ago 110

A Salesforce informou nesta quarta-feira (4) que cortará cerca de 10% de sua força de trabalho e fechará alguns escritórios como parte de uma reestruturação.

O anúncio foi feito por Marc Benioff, coCEO e cofundador da Salesforce, por e-mail. Na mensagem, Benniof escreveu que, nos últimos 23 anos, a Salesforce construiu o software de gerenciamento de relacionamento com o cliente (CRM) ‘número 1’, do mundo, que impulsiona o crescimento dos clientes em diferentes linhas de negócio.

Porém, apesar do serviço da empresa ser essencial para seus clientes o ambiente desafiador tem feito com que as empresas adotem uma abordagem mais ponderada em suas decisões de compra. “Com isso em mente, tomamos a difícil decisão de reduzir nossa força de trabalho em cerca de 10% nas próximas semanas”, escreveu Benioff.

E completou: “tenho pensado muito sobre como chegamos a este momento. Como nossa receita acelerou durante a pandemia, contratamos muitas pessoas o que nos levou a essa crise que estamos enfrentando, e assumo a responsabilidade por isso”.

Benioff afirmou ainda que os funcionários inicialmente afetados pela decisão receberiam um e-mail com a informação na próxima hora e pediu, àqueles que ficam, confiança na liderança e em seu próprio trabalho.

As pessoas desligadas, informou a companhia, receberão um pacote com o pagamento de mais de quatro salários e seguro saúde. Com uma força de trabalho concentrada em 55% dentro dos Estados Unidos, a companhia informou ainda que os desligados em outros países receberiam um nível semelhante de suporte alinhado às leis trabalhistas de cada país.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Onda de demissões na tecnologia

Essa é a mais recente empresa do setor de tecnologia a anunciar cortes de investimento e pessoal para se adaptar ao novo cenário macroeconômico de redução de crescimento. Em novembro de 2022, a Amazon anunciou um corte de cerca de 10.000 pessoas, cerca de 1% de sua força de trabalho global. No Twitter, o corte atingiu 50% dos seus então 7.500 empregados  e no Facebook os desligamentos foram de cerca de 13 mil pessoas.

No Brasil, muitas startups também precisaram ‘enxugar’ seus quadros.

(Com informações da Agência Reuters)

Read Entire Article