Dólar sobe para R$ 5,3 com instabilidade política após atos golpistas

1 year ago 73
Mercado

O sentimento de instabilidade política, diante dos atos de grupos radicais de direita aos prédios do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e da sede do Supremo Tribunal Federal (STF) no domingo (8), ocasionou uma alta na demanda por moeda forte. Nesse cenário, o dólar comercial sobe 1,22% para R$ 5,3 no intradia.

Na abertura, a moeda americana subia 0,83%. Já os contratos futuros do dólar sobem 1,31% a R$ 5,239.

A movimentação reverte o início da trajetória mais amena que iniciava no fim da semana passada, quando a divisa americana encerrou em baixa de 2,16% em relação ao real, a R$ 5,2363, na maior queda diária desde 31 de outubro de 2022 (-2,54%). Na semana, acumulou recuo de 0,83%.

“Em minha opinião, o dólar deve ser o melhor termômetro da piora no sentimento de risco, não só por ser um hedge natural, mas pelo fato de Bolsa e as taxas de juros já estarem bastante descontados, o que me leva a crer que a assimetria no câmbio é maior, neste momento”, escreveu Nicolas Borsoi, economista-chefe da Nova Futura Investimentos em relatório.

O foco dos investidores agora fica nos desdobramentos para as ações que vão ser tomadas em relação aos atos dos golpistas.

Foram feitas reuniões do presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber, às 9h, ao passo que com os governadores o encontro será no fim da tarde, às 18h.

No exterior, ao longo do dia, investidores vão acompanhar indicadores da Europa e dos EUA, além de discursos de autoridades do Fed e do Banco da Inglaterra (BoE). Mais cedo, dados mostraram que a produção industrial alemã cresceu menos do que o esperado em novembro.

‘Índice do dólar’ cai

O índice DXY do dólar, que mede as variações da moeda americana frente a outras seis divisas relevantes, opera em baixa, ampliando as perdas de mais de 1% da sessão anterior, quando dados do relatório de emprego dos EUA – o chamado Payroll – sugeriram que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) poderá adotar um ritmo mais moderado de aumento de juros. Às 8h18, oscilava em queda de 0,21%, a 103,661 pontos.

Com Estadão Conteúdo

Read Entire Article