Donos da PayDiamond são condenados à prisão por pirâmide financeira

1 year ago 124
Negócios
Donos da PayDiamond são condenados à prisão por pirâmide financeiraDonos da PayDiamond são condenados. Foto: Reprodução

Os donos da PayDiamond foram condenados à prisão pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) por crimes contra a economia popular. Segundo a sentença publicada em novembro no Diário da Justiça, a empresa aplicou um esquema de pirâmide financeira e teria usado bitcoins para esconder os lucros conquistados.

Ao protocolar a denúncia, em 2019, o Ministério Público afirmou que a empresa era uma “verdadeira organização criminosa, para prática de fraudes e pirâmide, causando danos a número expressivo e indeterminado de pessoas”.

Ainda segundo o MP, a PayDiamond havia se apresentado no mercado brasileiro como uma companhia que vendia equipamentos e suprimentos de informática.

Porém, após iniciar suas operações, o Departamento Nacional de Produção Mineral recebeu uma denúncia contra a empresa dizendo que ela fazia oferta de contratos de investimentos no comércio de diamantes.

Líderes da PayDiamond condenados

Na sentença do TJ-SP, os líderes da PayDiamond foram condenados à prisão e ao pagamento de multas. No entanto, tendo em vista que os réus responderão ao processo em liberdade “até o trânsito em julgado da decisão condenatória”, diz o documento.

A exceção é Carlos Cesar Luiz, cuja prisão preventiva foi decretada, sem revogação posterior. Confira quem foram os líderes condenados e as penas aplicadas:

  • Carlos Cesar Luiz: condenado a 6 anos de reclusão (regime fechado), mais 2 anos e 9 meses de detenção (regime semiaberto) e pagamento de 29 dias-multas no valor de 5 salários mínimos;
  • Katia Regina Zizirskas: condenada a 2 anos e 6 meses de detenção (regime semiaberto) e pagamento de 26 dias-multas no valor de 5 salários mínimos;
  • Adriano Machado Mendes: condenado a 5 anos de reclusão, mais 1 anos e 6 meses de detenção no regime semiaberto e pagamento de 16 dias-multas no valor de 5 salários mínimos;
  • Rodrigo de Souza Kagachi: condenado 5 anos de reclusão, junto a 1 anos e 6 meses de detenção no regime semiaberto e pagamento de 16 dias-multas no valor de 5 salários mínimos;
  • Dilhermo Pereira Gonçalves: condenado a 5 anos de reclusão, além de 1 anos e 6 meses de detenção no regime semiaberto e pagamento de 16 dias-multas no valor de 5 salários mínimos.

Esquema de pirâmide financeira

Em seus slides de apresentação, a empresa dizia que era “a soma da visão empreendedora com a experiência em Marketing Multinível”. Além do valor em dinheiro, a empresa também oferecia prêmios, como notebooks, motos, carros de luxo e até uma casa no valor de R$ 500 mil para quem fizesse parte do plano ‘Black Diamond’.

Desde o início do processo, o site da PayDiamond está fora do ar. Até hoje a empresa possui diversas reclamações não respondidas no portal ReclameAqui. Em uma delas, um cliente afirma que investiu US$ 7,6 mil nos serviços ofertados e, quando foi sacar, o site já não estava mais operando.

 Entenda alta de 116% em três pregões

Gafisa (GFSA3): Entenda alta de 116% em três pregões

Tesla (TSLA34) faz ‘promoção de carros’ na China após demanda cair

Tesla (TSLA34) faz ‘promoção de carros’ na China após demanda cair

Santander abre 100 vagas com salários de até R$ 25 mil

Santander abre 100 vagas com salários de até R$ 25 mil

Taesa (TAEE11) pagará quase meio bilhão em dividendos; veja

Taesa (TAEE11) pagará quase meio bilhão em dividendos; veja

 Veja as datas para receber o PIS/Pasep em 2023

Abono salarial: Veja as datas para receber o PIS/Pasep em 2023

Read Entire Article