Entenda como funciona o ciclo de vida de um token de recebíveis

1 year ago 72

A tokenização segue ganhando cada vez mais espaço no mercado, principalmente pelo fato de que praticamente qualquer coisa pode ser tokenizada em blockchain. E uma das aplicações mais utilizadas hoje em dia é a tokenização da antecipação de recebíveis.

Vejo esse mercado acelerando mais e mais e é muito importante entender melhor o ciclo de vida desse tipo de token e o funcionamento do projeto do começo ao fim, comparando-o com os meios tradicionais.

Como é o ciclo de vida ideal de um token de antecipação de recebíveis?

O ciclo de vida ideal de um token, de forma geral, pode ser dividido em três fases:

  • Pré-issuance (ou Emissão);
  • Pós-issuance (ou Governança);
  • Resgate.

Apesar do foco deste artigo ser nos tokens de recebíveis, diversos desses processos se encaixam no funcionamento geral de outros tokens.

É importante ressaltar que esse ciclo completo acontece em condições ideais. Atualmente, nem todos os passos são realizados, mas o mercado está evoluindo constantemente para que, no futuro, aconteça!

Sabendo disso, abaixo você pode conferir detalhadamente cada uma dessas etapas.

Emissão

Quando se trata de um token de antecipação de recebíveis, como qualquer oferta de títulos tradicional, é necessário definir os parâmetros de empréstimo pertinentes, como o volume da oferta, a taxa de juros ou deságio e a duração. 

Estes parâmetros são expressos diretamente na lógica do Smart Contract, tipicamente dentro de um modelo de contrato. A execução em uma plataforma pública de contratos inteligentes garante a adesão aos termos.

É possível mover todo o processo de oferta, o valuation e o levantamento de investidores na blockchain, mas também é bastante comum e prático aplicar os mesmos procedimentos que em ofertas tradicionais. Com o surgimento dos tokens e das stablecoins, entretanto, tornou-se mais atraente realizar a compra real de títulos já dentro da blockchain. 

Dessa forma, a entrega final dos direitos aos títulos é feita de maneira pré-programada, sem a necessidade de agentes de pagamento e serviços de caução, reduzindo, assim, os custos de emissão. 

Governança

A etapa de governança diz respeito à manutenção, possíveis negociações e remunerações periódicas dos tokens. Nesta etapa, existem alguns fatores a serem considerados.

Custódia

Assim como quase todos os ativos digitais, os tokens que representam os títulos precisam ser armazenáveis, transferíveis, negociáveis e recuperáveis com segurança durante a sua vida útil.

Existem empresas especializadas que têm muitas opções para custódia e armazenamento de ativos digitais, e estas opções também estão disponíveis para os tokens de antecipação de recebíveis.

Negociações

Como as instituições emissoras dos tokens estão sujeitas a várias regulamentações em praticamente todas as jurisdições, a transferência sem permissão é inviável. 

Porém, já existem maneiras para conciliar o comportamento intencional dos donos dos tokens e a natureza resistente à censura das blockchains públicas, seja com uma simples lista de permissões ou com aprovações de transferência “just-in-time”. 

Um requisito fundamental quando se trata da tokenização de antecipação de recebíveis é a capacidade de precificar o token e seus riscos em um mercado secundário. Para muitos tokens, isto pode acontecer em exchanges centralizadas ou pela blockchain em exchanges descentralizadas. Entretanto, evitar a fragmentação da liquidez entre plataformas é ainda mais importante com a antecipação de recebíveis, que normalmente sofre com a falta de liquidez.

Mesmo que a segurança dos Smart Contracts seja muito avançada, tokens de recebíveis normalmente contêm uma funcionalidade de administrador para permitir atuações em circunstâncias imprevistas, por exemplo, pausando todas as transferências. 

Remunerações

Por fim, a antecipação de recebíveis pode incluir pagamentos regulares de remunerações mesmo quando tokenizada. 

A blockchain pública faz com que seja mais conveniente para os emissores determinar os beneficiários finais desses pagamentos: as carteiras com os mesmos endereços que possuem o token em uma determinada data no tempo.

Assim, os donos dos tokens podem receber a quantidade apropriada de stablecoins ou de outro meio de pagamento adequado para a Blockchain. Dessa forma, a natureza flexível dos contratos inteligentes permite que os eventos do calendário corporativo sejam integrados ao próprio ativo.

Resgate

Geralmente, ao final do projeto, o aporte principal é devolvido aos atuais portadores do token. 

Da mesma maneira como ocorre com as remunerações, isso pode ser realizado de forma prática pela Blockchain com o uso de stablecoins e acontece, normalmente, após as transferências dos tokens de antecipação de recebíveis terem sido desativadas. Neste momento, os tokens também são recolhidos e os Smart Contracts são destruídos ou desativados perpetuamente.

Investir no mercado cripto ainda pode ser algo muito novo para muitos investidores. E uma das chaves para o sucesso é estudar o mercado, e entender qual é o momento certo para investir o seu capital.

Acredito que estamos caminhando cada vez mais para a verdadeira democratização e diversificação da maneira em que você aplica seus capitais!

As informações contidas neste texto são de responsabilidade do autor e não necessariamente refletem as posições do Cointelegraph Brasil.

LEIA MAIS:

Read Entire Article