Ferrari corta relações com patrocinador cripto antes da temporada 2023 da Fórmula 1

1 year ago 83

A parceria Ferrari-Velas de 2021 – fixada em US$ 30 milhões por ano – visava aumentar o engajamento dos fãs por meio de tokens não fungíveis (NFTs) e outras iniciativas compartilhadas

Ferrari corta relações com patrocinador cripto antes da temporada 2023 da Fórmula 1

A escuderia Ferrari, a divisão de corrida da montadora de carros de luxo Ferrari, juntou-se à crescente lista de equipes de Fórmula 1 que encerrou parcerias com seus patrocinadores de criptomoedas.

A Ferrari encerrou seus acordos de parceria de vários anos com a Velas Blockchain e a gigante de fabricação de chips Snapdragon, resultando em uma perda cumulativa de US$ 55 milhões para a equipe italiana antes da temporada de 2023.

A parceria Ferrari-Velas de 2021 – fixada em US$ 30 milhões por ano – visava aumentar o engajamento dos fãs por meio de tokens não fungíveis (NFTs) e outras iniciativas compartilhadas. No entanto, a equipe não cumpriu as cláusulas que permitem que Velas crie imagens NFT, de acordo com o RacingNews365.

Em novembro de 2022, a Mercedes também sofreu uma perda de US$ 15 milhões após suspender sua parceria com a FTX, já que a exchange de criptomoedas entrou com pedido de falência no capítulo 11 . A parceria da Red Bull Racing com a Tezos Foundation sofreu um destino semelhante, já que a empresa blockchain decidiu não renovar seu acordo citando desalinhamento de estratégia.

Toto Wolff, chefe de equipe e CEO da Mercedes-AMG Petronas F1 Team, alertou que outras equipes podem se deparar com uma situação semelhante. No entanto, a relação entre a F1 e o ecossistema de criptomoedas vai além das parcerias. Em outubro de 2022, a Fórmula 1 revelou seus planos de criar um mercado online para criptomoedas, metatokens, colecionáveis ​​digitais, cripto-colecionáveis ​​e NFTs, todos relacionados a marca "F1".

Relacionado: Campeonato argentino de futebol marca parceria metaversa após triunfo na Copa do Mundo

Em meio a um mercado em baixa, os projetos da Web3 assumiram a liderança para fortalecer o engajamento entre torcedores e ligas esportivas.

O relatório “2022 Sports Industry Outlook” da Deloitte previu uma aceleração na mistura dos mundos real e digital, juntamente com mercados crescentes para NFTs e tecnologias imersivas. Conforme relatado pelo Cointelegraph, a falta de plataformas fáceis de usar é o maior desafio para a adoção convencional.

LEIA MAIS

Read Entire Article