Juiz define 3 de outubro como prazo final para que promotores apresentem provas no caso contra Alex Mashinsky

10 months ago 52

O juiz distrital dos EUA, John Koeltl, concedeu um adiamento para a data de início do julgamento do ex-CEO da Celsius, Alex Mashinsky, citando o "volume de descobertas" e a "complexidade do caso."

Juiz define 3 de outubro como prazo final para que promotores apresentem provas no caso contra Alex Mashinsky

Os advogados do Departamento de Justiça dos Estados Unidos ganharam mais tempo para apresentar provas e dar à equipe de defesa do ex-CEO da Celsius, Alex Mashinsky, tempo para analisar os documentos relacionados às revelações sobre o caso.

Em uma ordem de 25 de julho, o juiz distrital dos EUA John Koeltl disse que excluiria o período entre 25 de julho e 3 de outubro dos cálculos da Lei do Julgamento Rápido – uma lei que exige que um julgamento criminal federal comece dentro de 70 dias após a apresentação de uma acusação. Ele citou o "volume de descobertas", bem como a "complexidade do caso" contra o ex-CEO da Celsius para justificar a decisão.

"A Corte considera que os fins da justiça servidos pela concessão do adiamento superam o melhor interesse do réu e do público em um julgamento rápido", disse Koeltl.

A lei exige que os promotores divulguem amplamente qualquer informação "favorável a um acusado" que seja "relevante para confirmação da culpa ou para a punição" à equipe jurídica de Mashinsky. A audiência de 3 de outubro colocará Mashinsky em um tribunal de Nova York apenas um dia após o início do julgamento do ex-CEO da FTX, Sam Bankman-Fried, que responde por acusações criminais no mesmo distrito.

A Celsius entrou com pedido de falência sob o Capítulo 11 em julho de 2022, semanas após a plataforma ter anunciado que iria interromper todos os saques de seus clientes sem fornecer uma data para a retomada dos mesmos. Mashinsky renunciou ao cargo de CEO da empresa em setembro de 2022.

As autoridades dos EUA prenderam Mashinsky em 13 de julho sob a alegação de fraude de valores mobiliários, fraude de commodities e fraude eletrônica relacionada a enganar os clientes acerca das práticas comerciais da Celsius. O ex-CEO da Celsius se declarou inocente de todas as acusações e foi liberado sob uma fiança de US$ 40 milhões.

O juiz ainda não definiu uma data para o julgamento do processo criminal do ex-CEO da Celsius. As acusações de fraude surgiram paralelamente a uma queixa apresentada pela Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) contra Mashinsky. A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) também entrou com seu próprio processo civil contra o ex-CEO, enquanto a Comissão Federal de Comércio anunciou que havia emitido uma multa de US$ 4,7 bilhões contra a Celsius em julho.

LEIA MAIS

Read Entire Article