Justiça dos EUA apreende US$ 456 milhões em ações da Robinhood vinculados à SBF

1 year ago 59

O Departamento de Justiça dos EUA (DOJ) apreendeu oficialmente ações do popular aplicativo de investimentos Robinhood vinculado a Sam Bankman-Fried, fundador da FTX.

Em um processo datado de 6 de janeiro, os promotores informam ao tribunal de falências do distrito de Nova Jersey que as ações da Robinhood no valor de mais de US$ 456 milhões vinculadas ao ex-CEO estão agora sob custódia do governo dos EUA.

“Os Estados Unidos apreenderam 55.273.469 ações da Robinhood Markets Inc. e $ 20.746.713,67 em moeda dos Estados Unidos de uma conta na ED&F Man Capital Markets Inc. de acordo com mandados de apreensão judicialmente autorizados emitidos no Distrito Sul de Nova York.”

De acordo com o processo, os bens apreendidos constituem propriedade envolvida nas violações dos estatutos criminais de lavagem de dinheiro e fraude eletrônica e não são propriedades da FTX.

Em novembro, a FTX entrou com pedido de falência depois que a exchange falhou em atender aos pedidos de retirada de seus clientes.

A apreensão ocorre quando Bankman-Fried lida com oito acusações decorrentes de sua suposta apropriação indevida de bilhões em fundos de clientes da FTX.

Em uma declaração arquivada na Suprema Corte do Caribe Oriental, Bankman-Fried diz que ele e o diretor de tecnologia da FTX, Gary Wang, tomaram fundos emprestados da Alameda Research, para financiar a Emergent Fidelity Technologies, que comprou as ações da Robinhood.

Os advogados de Bankman-Fried argumentam que a Emergent não está implicada na insolvência da FTX e não deveria fazer parte do processo de falência. 

Eles também dizem que o ex-bilionário precisa das ações para financiar sua defesa legal.

Qual sua opinião? Deixe na seção de comentários abaixo.

Leia mais: Solana (SOL) e Cardano (ADA) disparam no fim de semana

Read Entire Article