Méliuz (CASH3) faz acordo com banco Votorantim e vende fatia da empresa por R$ 1,50 a ação

1 year ago 84

A Méliuz (CASH3) assinou um acordo com o Banco Votorantim (BV) em que os fundadores (Israel Salmen, André Ribeiro e Lucas Figueiredo) venderão uma fatia de 3,85% da empresa a R$ 1,50 por ação. O preço é 27% superior ao do fechamento de quinta-feira (29), o que indica que os papéis da companhia podem abrir em forte alta nesta segunda-feira (2), no primeiro pregão de 2023.

O valor de R$ 1,50 por ação ainda será corrigido pelo CDI entre a data de celebração acordo, divulgado na sexta-feira (30), e a data de consumação da operação. O acordo também prevê que o BV poderá comprar o restante do controle acionário dos fundadores, ao preço máximo de R$ 1,50 por ação ou 10% de desconto na média dos 30 dias anteriores à negociação, nos próximos 24 meses.

A Méliuz também vai passar oferecer produtos e serviços financeiros do BV aos seus clientes e vender ao banco o controle da sua fintech Bankly, em até 90 dias. O acordo avalia a fintech em R$ 210 milhões — cerca de 20% do valor de mercado de toda a Méliuz atualmente. A aliança entre as empresas será oficialmente apresentada ao mercado nesta terça (3), por meio de um webcast.

Em relatório, o Bradesco BBI avalia que o negócio deve ser visto de forma positiva pelo mercado. “Por outro lado, acreditamos que a valorização adicional da ação no curto prazo (acima de R$ 1,50/por ação) pode ser limitada, uma vez que a probabilidade de o BV exercer sua opção de compra aumenta nesse cenário”. “Em suma, esperamos uma reação positiva do mercado para as ações”.

O Bradesco BBI classifica as ações da Méliuz como “outperform” (o equivalente a compra) e tem um target de R$ 1,70 para o papel — um upside de 44% para o preço atual. O relatório do banco é assinado pelos analistas Otávio Tanganelli e Camila Koga (leia aqui o fato relevante da Méliuz sobre o acordo com o Banco Votorantim).

Read Entire Article