Notícias do Japão e novas visões sobre Fed: o que encerrou a maior sequência de altas do Dow Jones desde 1987

9 months ago 105

Os principais índices de Bolsa dos Estados Unidos fecharam em baixa nesta quinta-feira, depois que a notícia de que o Banco do Japão permitirá que as taxas de juros de longo prazo subam impulsionou os rendimentos dos Treasuries.

Com isso, o Dow Jones interrompeu a mais longa sequência de altas do índice Dow Jones desde 1987, fechando em queda de 0,67%.

O jornal Nikkei noticiou que o banco central japonês manterá seu limite de 0,5% para o rendimento dos títulos do governo de 10 anos, mas discutirá permitir que as taxas de juros de longo prazo subam acima desse nível em certo grau. A Reuters confirmou que o banco central pode fazer pequenos ajustes para estender a vida útil de sua política de controle de rendimentos.

Juros mais altos no Japão impulsionaram o rendimento dos Treasuries de 10 anos para alta superior a 4% mais cedo e reduziram a atratividade das ações.

Com isso, o Dow Jones caiu 0,67%, para 35.282,72 pontos. O S&P 500 perdeu 0,64%, para 4.537,46 pontos. O índice de tecnologia ​​Nasdaq caiu 0,55%, para 14.050,11 pontos.

Na quarta-feira, o Federal Reserve elevou a taxa de juros em 0,25 ponto percentual, conforme esperado. Operadores agora veem apenas 20% de chance de o Fed surpreender com um incremento de 0,25 ponto percentual em setembro.

O chair do Fed, Jerome Powell, disse na quarta-feira que a equipe do Fed não prevê mais uma recessão nos EUA, mas não descartou outro aumento de juros, dizendo que o Fed seguiria dados econômicos futuros.

Nesta quinta-feira, um relatório do Departamento de Comércio mostrou que a economia dos EUA cresceu mais rápido do que o esperado no último trimestre, com uma leitura do Produto Interno Bruto de 2,4%, acima da previsão de 1,8% de economistas consultados pela Reuters.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Kim Rupert, diretor-gerente de renda fixa global da Action Economics em San Francisco, disse que os fortes dados econômicos no início do dia também fizeram o mercado reavaliar seu posicionamento depois que o Federal Reserve atualizou ligeiramente sua perspectiva de crescimento na quarta-feira.

“Os mercados estão olhando para o crescente potencial de outro aumento da taxa do Fed que havia sido amplamente descartado. Agora está sendo precificado de volta”, disse Rupert, que espera uma alta da taxa do Fed em setembro.

Ebook Gratuito

Análise de Balanços

Cadastre-se e receba um ebook que explica o que todo investidor precisa saber sobre os resultados das empresas

Fortes ganhos em ações de crescimento de megacapitalização ajudaram o Nasdaq a liderar o avanço de Wall Street até agora este ano, com o índice em alta de cerca de 34%.

A Ágora também destacou que a combinação de dados dos EUA corrobora a visão de um Fed ainda distante do fim do combate à inflação, um dia depois da retomada no ciclo de aperto monetário.

Além disso, durante à tarde, em meio a reunião pública do Banco Central norte-americano, as bolsas em Wall Street viraram para o terreno negativo também pressionadas pela queda do setor bancário em reflexo às discussões de possibilidade de elevação das exigências de capital regulatório para os grandes bancos locais, de acordo com análise da Ágora.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Iene em alta com BoJ

A notícia de que o Banco do Japão planeja discutir ajustes em sua política de controle da curva de rendimentos na reunião de sexta-feira (28) também teve efeito no mercado de câmbio, uma vez que o iene subiu contra todos os seus principais pares.

A moeda japonesa teve alta de até 2% em relação ao euro, maior avanço desde março, e avançou 1% em relação ao dólar.

Os mercados foram inundados com especulações nas últimas semanas de que o BoJ – que realiza sua reunião de política monetária na sexta-feira – finalmente agirá para parar de limitar os rendimentos dos títulos do governo depois de modificar sua abordagem no final do ano passado. Os traders aumentaram a proteção contra uma alta do iene, que provavelmente se fortaleceria se o teto fosse derrubado.

“Embora a especulação de um ajuste de política tenha sido errada antes – e as reportagens sugerem apenas que o BoJ irá ‘discutir’ um ajuste do controle da curva de juros –  o aumento da inflação, o aumento dos salários e a grande escala de compras do BoJ sugerem que o tempo para algum ajuste está chegando.” disse Shaun Osborne, estrategista-chefe de câmbio do Scotiabank.

Os formuladores de políticas provocaram fortes variações nos mercados financeiros em dezembro, quando anunciaram que permitiriam que os rendimentos dos títulos de 10 anos do Japão subissem para cerca de 0,5%, o dobro do limite superior anterior de 0,25%. O iene subiu acentuadamente à medida que os rendimentos dos títulos do governo dispararam, reverberando em vários mercados, desde ações dos EUA até o dólar australiano e o ouro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Uma mudança de liderança no comando do BoJ no início deste ano, com a entrada de Kazuo Ueda, deixou os investidores ainda mais ansiosos pelo fim de uma década de taxas de juros ultrabaixas que enviaram um forte montante dinheiro para o exterior e puniram os poupadores domésticos. Mas desde então, os investidores viram pouco progresso.

“A julgar por essa ação de preço, o impacto de ajustar ou encerrar o YCC muito provavelmente se espalhará e também aumentará outros rendimentos globais”, disse Win Thin, chefe global de estratégia cambial da Brown Brothers Harriman & Co.

Qualquer mudança também pode ser transformadora para o iene. A política monetária ultrafrouxa do Japão pesou sobre a moeda, já que os bancos centrais de outros lugares aumentaram agressivamente as taxas para combater a inflação, com o iene perdendo cerca de 6% em relação ao dólar americano este ano.

(com Reuters e Bloomberg)

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Read Entire Article