Nova carteira da Optimism permite que usuários recebam criptomoedas através de login no Twitter

10 months ago 44

Uma nova carteira de criptomoedas lançada na rede de camada 2 Optimism permite que os usuários gerem um endereço sem criação de frases-semente, e a conta pode ser salva usando um login comum do Twitter. Chamada de "Beam", a carteira é executada em uma janela do navegador e não requer downloads, de acordo com um anúncio divulgado em 27 de julho pelo desenvolvedor da solução. Ela também permite que os usuários efetuem transações na Optimism mesmo sem possuir Ether (ETH) para pagar as taxas de gás.

INTRODUCING BEAM

The first self-custody payments wallet built for the mainstream — no download or signup required.

Beam is the easiest way on the planet to send anyone money.

Try it out with a single click

— Andy Bromberg (@andy_bromberg) July 27, 2023

APRESENTANDO A BEAM

A primeira carteira de pagamentos de autocustódia criada para o público em geral – não é necessário fazer download ou registro.

A Beam é a maneira mais fácil do planeta de enviar dinheiro a qualquer pessoa.

Experimente-a com um único clique

— Andy Bromberg (@andy_bromberg)

A Beam foi desenvolvida pela Eco, uma empresa de pagamentos que recebeu financiamento de fundos de capital de risco como Andreessen Horowitz, Coinbase Ventures, Founders Fund, Lightspeed Venture Partners e Pantera Capital.

Para criar uma carteira Beam, o usuário deve entrar no site do aplicativo para gerar um código QR exclusivo que representa um endereço na Optimism. Depois disso, os usuários podem exibir seu código QR para quem quer que queira lhes enviar criptomoedas. Eles também podem clicar no código QR para copiar o endereço, de modo que as transferências possam ser enviadas por e-mail ou aplicativos de mensagens instantâneas. O aplicativo da Web pode ser acessado de um desktop ou de um dispositivo móvel.

Interface da Beam. Fonte: Eco

Para fazer o backup de suas carteiras, os usuários devem clicar em "salvar acesso" e entrar no Twitter por meio de sua interface de programação de aplicativos. Em seguida, eles clicam em "salvar acesso" uma segunda vez e são solicitados a fornecer uma nova senha. Depois de enviar a senha, o backup da conta é concluído e o usuário pode recuperar sua conta através de seu login e senha do Twitter se o dispositivo falhar.

Em uma conversa com o Cointelegraph, o CEO da Eco App and Beam, Andy Bromberg, explicou que o aplicativo usa o Web3Auth para fazer o backup das contas. O Web3Auth é uma nova tecnologia para carteiras autocustodiais que permite a criação de endereços sem a geração de frases-semente.

Bromberg disse que a senha serve como um fragmento de backup para o Web3Auth, o que significa que nenhum hash dela é armazenado em um servidor centralizado, o que implica que nem o Twitter nem a Eco podem fazer transferências não autorizadas em nome de um usuário.

Embora a moeda nativa da Optimism seja o Ether, o Beam não exige que os usuários possuam ETH para pagar as taxas de gás ao efetuar transações. As taxas de gás podem ser pagas com a moeda usada na transferência. Por exemplo, um usuário pode enviar US$ 100 em USD Coin (USDC) pagando uma  taxa de US$ 0,50 em USDC.

Para que isso seja possível, a carteira transmite duas transações separadas. A primeira transação é a que o usuário solicitou, enquanto a segunda transação é uma promessa de pagamento a uma conta "master de pagamento" de terceiros que vai pagar a taxa de gás em benefício do usuário. No exemplo acima, usando USDC, recairá sobre o pagador o custo de US$ 0,50 ou menos da taxa de gás em ETH do usuário que está realizando a transação e o usuário pagará US$ 0,50 em USDC ao pagador. Bromberg disse à Cointelegraph que os masters de pagamento não podem cobrar taxas mais altas do que o usuário autorizar, pois o valor da taxa está embutido na assinatura usada para validar a transação.

De acordo com Bromberg, o uso de masters de pagamento só se tornou possível depois que a abstração de contas foi implementada em março, permitindo que as contas de carteira controladas pelo usuário contivessem código executável pela primeira vez.

A Beam também será lançada na rede Base da Coinbase quando entrar oficialmente em operação em agosto. Assim que a Base for lançada oficialmente, os saldos dos usuários na Base e na Optimism serão totalizados no aplicativo da Beam, afirmou Bromberg. Quando um cliente iniciar uma transação, as partes da transação na Base e no Optimism serão transmitidas simultaneamente em cada rede, fazendo com que o usuário tenha a impressão de que está interagindo em uma única rede.

Devido a esse recurso, Bromberg se referiu à Beam como uma carteira "Superchain", o que significa que ela interagirá perfeitamente em todo o ecossistema OP Stack.

Bromberg acredita que a Beam vai incrementar a experiência dos usuários com carteiras de criptomoedas, permitindo que mais pessoas comuns adotem a tecnologia:

"Nós abstraímos cadeias, endereços e taxas, tudo isso para que as pessoas normais possam usar a Beam. Estou no mundo das criptomoedas há 10 anos, e este é o primeiro produto autocustodial que meus pais conseguiram usar. Eu já tentei muitas vezes antes, e só agora isso aconteceu. Portanto, estamos entusiasmados."

A Beam não é a única carteira que visa a simplificar a experiência dos usuários de criptomoedas. A carteira Kresus, lançada em 11 de maio, permite que os usuários a utilizem apenas com um endereço de e-mail. Em 8 de maio, a Worldcoin lançou uma carteira que permite transações sem taxas de gás para qualquer usuário que comprove sua humanidade por meio de seu protocolo.

“We’ve abstracted away chains, addresses, fees — all of it — to make it so that normal people can use it. I’ve been in crypto for 10 years now, and this is the first noncustodial product that my parents have ever been able to use, and I have tried many times before, and this did it. So we’re excited about it.”

LEIA MAIS

Read Entire Article