Preço do Bitcoin está em baixa, mas dados indicam que US$ 30 mil ou mais é o caminho de menor resistência

10 months ago 62

Em 24 de julho, o Bitcoin sofreu um crash repentino, despencando para US$ 29.000 em um movimento agora atribuído a baleias de Bitcoin que potencialmente liquidaram suas posições. 

Em meio ao crash e à incerteza do mercado, as três principais métricas de negociação do Bitcoin (BTC) continuam a projetar uma perspectiva de alta, o que significa que os traders profissionais não reduziram suas posições compradas de alavancagem por meio do uso de margem e derivativos.

A empresa de análise Glassnode relatou um aumento nos fluxos de entrada de Bitcoin de baleias nas exchanges, atingindo seu nível mais alto em mais de três anos. As baleias responderam por 41% do total de entradas de BTC em plataformas de negociação. Essa forte liquidação das baleias alarmou os investidores, especialmente na ausência de qualquer evento negativo significativo que tenha afetado o Bitcoin este mês.

Notadamente, uma grande preocupação decorre dos processos judiciais em andamento movidos pela Comissão de Valores Mobiliários dos Estados Unidos (SEC) contra as exchanges Binance e Coinbase. Ainda assim, não houve nenhum grande avanço nesses casos, que provavelmente levarão anos para serem resolvidos. 

Queda do preço do Bitcoin pode estar relacionada à reversão da força do dólar

Apesar da volatilidade histórica, a queda do Bitcoin tornou-se mais pronunciada após 33 dias consecutivos de negociação em uma faixa diária estreita de 5,7%. O movimento é ainda mais digno de nota, uma vez que o S&P 500 subiu 0,4%, o petróleo bruto valorizou 2,4% e o índice do mercado acionário MSCI da China cresceu 2,2%.

Entretanto, é essencial considerar que o maior ativo de reserva global do mundo, o ouro, sofreu uma queda de 0,5% em 24 de julho. Além disso, o índice do dólar americano (DXY) reverteu sua tendência de baixa de dois meses, subindo de 99,7 para 101,4 entre 18 e 24 de julho.

Gráfico do índice do dólar dos E.U.A. (DXY). Fonte: TradingView

O DXY mede a força do dólar em relação a uma cesta de moedas fortes estrangeiras, incluindo a libra esterlina, o euro, o iene japonês, o franco suíço, entre outras. Se os investidores acreditarem que o Banco Central dos EUA (Fed) conseguirá administrar com sucesso uma aterrissagem suave da economia americana, faz sentido reduzir a exposição ao ouro e ao Bitcoin e, ao mesmo tempo, aumentar as posições no mercado de ações. A diminuição das chances de uma recessão podem ter um impacto positivo nos lucros das empresas.

Mercados de margem e de derivativos mostram operadores profissionais confiantes

Para entender se o movimento do preço do Bitcoin para US$ 29.000 rompeu com sucesso a estrutura do mercado, deve-se analisar os mercados de margem e de derivativos. A negociação de margem permite que os investidores alavanquem suas posições tomando stablecoins emprestadas para comprar mais criptomoedas.

Índice de empréstimo de margem de stablecoins/BTC na OKX. Fonte: OKX

Os empréstimos de margem dos traders da OKX com base na relação stablecoins/BTC aumentou entre 22 e 24 de julho, sugerindo que os traders profissionais adicionaram posições compradas alavancadas de Bitcoin apesar da recente queda do preço.

Os traders devem comparar esses dados com derivativos para garantir seu impacto em todo o mercado. Em mercados saudáveis, os contratos futuros de BTC normalmente são negociados com um prêmio anualizado de 5 a 10%, conhecido como contango, que não é exclusivo das criptomoedas.

Prêmio anualizado de futuros de 2 meses do Bitcoin. Fonte: Laevitas

Observe como o indicador sustentou um prêmio médio anualizado saudável de 5,7%, um pouco menor do que dois dias antes, mas ainda dentro da faixa neutra. Esses dados confirmam a resiliência dos mercados de margem, mas para avaliar melhor o sentimento do mercado, também é útil observar os mercados de opções.

O desvio delta de 25% pode revelar quando as mesas de arbitragem e os formadores de mercado cobram preços mais altos pela proteção contra movimentos de alta ou de baixa. Em resumo, uma métrica de inclinação acima de 7% sugere que os traders preveem uma queda no preço do Bitcoin, enquanto os períodos de entusiasmo geralmente produzem um desvio de -7%.

Desvio delta de 25% das opções de 30 dias do Bitcoin. Fonte: Laevitas

O desvio delta de 25% permaneceu negativo, indicando que as opções de compra de alta estavam sendo negociadas com um prêmio em comparação com as opções de venda de proteção. Isso reforça ainda mais a tese de que os traders profissionais permanecem despreocupados com o crash recente, sem nenhuma evidência que indique pessimismo entre as baleias e os formadores de mercado.

Caminho para US$ 30.000 ou mais mostra menor resistência

Independentemente da lógica por trás do movimento de preços em 24 de julho, os ursos do Bitcoin não conseguiram diminuir o otimismo dos investidores, resultando em maiores chances de uma recuperação acima de US$ 30.000 no curto prazo. Notavelmente, a mera valorização do dólar americano não afeta a política monetária previsível, a resistência à censura e a natureza autônoma do Bitcoin como meio de pagamento.

No lado positivo, há alguns gatilhos potencialmente favoráveis no horizonte, incluindo a possível aprovação de um fundo de índice negociado em bolsa de Bitcoin à vista e a obtenção de maior clareza regulatória nos EUA. A prova disso vem de um projeto de lei apresentado em 20 de julho que busca estabelecer um processo claro para determinar a classificação dos ativos digitais como commodities ou valores mobiliários. Se o projeto se tornar lei, ele daria à Comissão de Negociação de Futuros de Commodities (CFTC) a autoridade sobre commodities digitais.

Este artigo é para fins de informação geral e não se destina a ser e não deve ser tomado como aconselhamento jurídico ou de investimento. Os pontos de vista, pensamentos e opiniões aqui expressos são de responsabilidade exclusiva do autor e não refletem nem representam necessariamente os pontos de vista e opiniões do Cointelegraph.

LEIA MAIS

Read Entire Article