Retrospectiva 2022: um resumo do ano para o mercado cripto e o que esperar de 2023

1 year ago 127

Entrando no ano de 2023, é hora de fazer uma pausa e refletir sobre as conquistas e lutas que a comunidade global de criptomoedas testemunhou nos últimos 365 dias. Desde o início de 2022, nenhuma estratégia de investimento poderia ajudar a recuperar os portfólios em queda nos ecossistemas tradicionais e cripto. Janeiro de 2022 herdou um mercado ligeiramente em colapso, em que os investimentos feitos nas máximas históricas de 2021 resultaram em perdas imediatas.

Para muitos, especialmente os novos entrantes, a queda dos preços das criptomoedas foi percebida como o fim do jogo. Mas o que passou despercebido foi a resiliência e as conquistas da comunidade contra uma recessão global, ataques e golpes orquestrados, e um implacável mercado em baixa.

Como resultado da queda dos preços, 2022 também herdou o hype de 2021 em torno de tokens não fungíveis (NFTs), o Metaverso, máximas histórias icônicas para o Bitcoin (BTC) e outras criptomoedas.

As economias em todo o mundo sofreram uma inflação massiva à medida que as moedas fiduciárias mais influentes sucumbiam às pressões geopolíticas em curso. A queda da confiança dos investidores nos mercados tradicionais se infiltrou nas criptomoedas e a queda dos ecossistemas apenas ajudou a azedar o sentimento do mercado.

Um ano de disrupção

Em meio ao fraco desempenho do mercado, a comunidade cripto se concentrou em fortalecer seu núcleo. Isso significava liberar atualizações nas blockchains e introduzir recursos e capacidades mais rápidos, baratos e seguros, tudo impulsionado pelo consenso das respectivas comunidades. Como resultado, 2022 foi um ano marcante para os principais ecossistemas de criptomoedas.

O Bitcoin recebeu uma melhoria altamente solicitada para a Lightning Network (LN), seu protocolo de camada 2. A LN obteve maior privacidade e eficiência graças a uma atualização de novembro de 2021 chamada Taproot. A atualização Taproot do Bitcoin viu várias implementações em nível de protocolo para melhorar a privacidade e a eficiência. Também ajudou a diminuir o tamanho do banco de dados, um fator essencial para desacelerar a explosão no tamanho do livro-razão do Bitcoin.

Announcing lnd 0.15 beta: To Taproot and Beyond! ♾️

Featuring:
Taproot + Musig2 support for better privacy + efficiency, Taro soon™
~95% database space reduction for new data
️ New pathfinding tool to choose speed vs. cost of payments

Read more: https://t.co/5pavMcpxBg

— Lightning Labs⚡️ (@lightning) June 28, 2022

Em maio de 2022, o Bitcoin já estava na metade do caminho para o próximo halving, um evento que reduz as recompensas da mineração pela metade. A recompensa por confirmar transações  do Bitcoin é reduzida pela metade a cada 210.000 blocos. O último halving do Bitcoin ocorreu em 11 de maio de 2020, quando era negociado na marca de US$ 9.200.

O fornecimento total de Bitcoin é limitado a 21 milhões desde sua criação. Portanto, um halving reduz ainda mais a quantidade de Bitcoin que é lançada no mercado. Uma escassez resultante do halving historicamente funcionou a favor do preço do Bitcoin.

Seguindo as expectativas dos especialistas do setor, o Bitcoin se recuperou por vários meses para marcar seu recorde histórico em novembro de 2021, e conseguiu manter seu valor bem acima de US$ 15.000 até o final de 2022, confirmam dados do Cointelegraph Markets Pro.

Preço do Bitcoin durante o último halving. Fonte: CoinMarketCap

A comunidade do Ethereum deu as boas-vindas à tão esperada atualização The Merge, que viu a transição da blockchain Ethereum de prova de trabalho (PoW) para um mecanismo de consenso por prova de participação (PoS). O impacto mais significativo da atualização foi uma redução drástica no consumo de energia. A comunidade cripto como um todo conta com essa redução no uso de energia para reacender o interesse em ecossistemas que se baseiam em Ether, como NFTs.

Resiliência do mercado cripto vs. mercados tradicionais

A história prova que dois fatores desempenham um papel crucial no desempenho do mercado cripto: o preço do Bitcoin e o sentimento do investidor. Ambos os fatores pareceram faltar ao longo do ano.

Linha do tempo de eventos e valor de mercado. Fonte: CoinGecko

O ecossistema cripto foi atormentado por uma série de ataques, sanções sem precedentes e pedidos de falência, que multiplicaram o impacto da recessão global no mercado. Além do baixo desempenho dos preços, algumas das cicatrizes mais proeminentes para os investidores de 2022 incluem a queda da FTX, 3AC, Voyager, BlockFi e Terraform Labs, em que os investidores perderam o acesso a todos os seus fundos da noite para o dia.

Em meio a essa comoção, empresários antes amados pelas massas acabaram quebrando a confiança de milhões, como o ex-CEO da FTX Sam Bankman-Fried e o co-fundador e CEO da Terra, Do Kwon.

Apesar dos obstáculos adicionados, o Bitcoin e o ecossistema de criptomoedas não apenas sobreviveram, mas também exibiram uma resiliência nunca vista antes. Os investimentos tradicionais de reserva de valor, como ouro e ações, também tiveram um destino semelhante. Entre janeiro e dezembro de 2022, os investidores em ouro tiveram uma perda líquida de 0,3%.

As ações das principais empresas também tiveram um desempenho ruim este ano, o que inclui Apple (-25%), Microsoft (-29%), Google (-38%), Amazon (-49%), Netflix (-51%), Meta (-65 %) e Tesla (-65%).

Performance anual dos gigantes do mercado tradicional. Fonte: LinkedIn

O Bitcoin começou o ano forte, com um preço de US$ 47.680 em janeiro de 2022, mas a diminuição do sentimento do investidor, impulsionado pelo aumento da inflação, preços da energia e incertezas do mercado ao longo do ano, conseguiu reduzir os preços em mais de 60% até dezembro.

Abrindo caminho para uma fundação mais forte

Vez após vez, os mercados em baixa assumiram a responsabilidade de eliminar maus atores e oferecer uma chance para projetos promissores de cripto exibirem seu verdadeiro valor aos investidores além do preço.

O ruído em torno das flutuações de preços não impediu que a rede Bitcoin fortalecesse seu núcleo contra tentativas de gasto duplo, ou seja, ataques de 51%. Graças à ampla comunidade de mineração, a taxa de hash e a dificuldade da rede, duas importantes métricas de segurança baseadas em poder computacional, garantiram aos Bitcoiners que a rede blockchain estava bem protegida. Ao longo do ano, a rede Bitcoin registrou consistentemente novos recordes de taxas de hash e terminou o ano entre 250-300 Exahashes por segundo (EH/s).

Clique em "coletar" embaixo da ilustração no topo da página ou nesse link.

Outros players proeminentes do ecossistema cripto também lançaram atualizações de sistema e recursos à medida que se preparam para 2023. Para a Polygon Technology, uma infraestrutura Web3 baseada em Ethereum, foi o lançamento do zkEVM, ou Ethereum Virtual Machine de conhecimento zero, uma solução de Camada 2 destinada a reduzir os custos de transação e melhorar a escalabilidade. O agregador de finanças descentralizadas (DeFi) 1inch Network lançou a atualização Fusion para fornecer trocas mais baratas, seguras e lucrativas para usuários.

A legalização do Bitcoin em El Salvador não passou despercebida, especialmente considerando que a aquisição de Bitcoin do país a partir de 2021 teve o mesmo destino de outros investidores cripto. Independentemente disso, o presidente de El Salvador, Nayib Bukele, dobrou sua decisão quando o país anunciou a compra de BTC diariamente a partir de 17 de novembro.

We are buying one #Bitcoin every day starting tomorrow.

— Nayib Bukele (@nayibbukele) November 17, 2022

Um dos impactos imediatos dessa mudança é a redução do preço médio de compra de El Salvador. Uma compra planejada durante as quedas do Bitcoin combinada com uma subsequente recuperação do mercado torna o país bem posicionado para compensar as perdas não realizadas.

Em países com alta inflação, o Bitcoin ajudou muitos indivíduos a manter seu poder de compra.

Espere o retorno do hype

Embora 2023 não tenha a sorte de testemunhar o próximo halving do Bitcoin, ele desempenhará um papel crucial no retorno do ecossistema. Com atualizações agressivas de blockchains, estratégias de negócios atualizadas e atenção dos investidores de volta ao menu, o ecossistema agora está se preparando para a próxima onda de disrupção.

Para os investidores, 2023 será um ano de recuperação, de perdas e desconfiança à autocustódia e investimentos informados. “Ser bem-sucedido” em cripto não é mais apenas se tornar um milionário da noite para o dia. Trata-se de criar, apoiar e pregar uma nova visão sobre o futuro do dinheiro.

Leia mais:

Read Entire Article