Sua presença nas redes sociais pode ajudar você a conseguir (ou a perder) um emprego

2 weeks ago 84


Sua presença nas redes sociais pode ajudar ou prejudicar sua busca por emprego. Explorar as conexões e ideias da suas redes pode lhe proporcionar uma vantagem, mas é essencial ser cuidadoso e manter o profissionalismo. De que forma você compartilha sua busca por emprego sem parecer estar desesperado? Qual é a melhor forma de demonstrar suas habilidades para garantir que seus contatos considerem você se surgir uma oportunidade? Se está empregado, como você pode sinalizar de forma sutil que está aberto a novas oportunidades sem levantar suspeitas na sua empresa? E se você é um recém-formado ingressando agora no mercado de trabalho, por onde deve começar?

O que dizem os especialistas

O paradigma tradicional de contratação está evoluindo para uma abordagem mais focalizada. “As organizações já não esperam que pessoas se candidatem a empregos”, afirma Matti Laukkarinen, pesquisador de doutorado da Universidade de Jyväskylä, na Finlândia. “Em vez disso, estão recrutando e caçando talentos online de forma proativa, utilizando plataformas de mídia social e análises preditivas.”

As implicações para os candidatos a emprego são profundas: sua presença digital e suas atividades on-line podem ter impacto significativo na sua atratividade e visibilidade para potenciais empregadores. Segundo Lisa Orbé-Austin, psicóloga, coach executiva e coautora de Own Your Greatness (Seja dono de sua grandeza, em tradução livre), é por isso que, quando você procura uma nova função, é importante gerenciar estrategicamente sua presença nas redes sociais. O objetivo é “pensar como um gerente de mídia social e selecionar” um perfil profissional, envolvente e personalizado que ressoe bem com os empregadores-alvo. Seguem algumas dicas sobre como fazer isso.

Faça uma limpeza de suas redes sociais

Antes de iniciar sua busca por um emprego, é preciso fazer uma limpeza digital. “Utilizando ferramentas de IA, recrutadores podem extrair dados de tudo”, adverte Laukkarinen, o que significa que é necessário tomar precauções adicionais para garantir que potenciais empregadores vejam só o que você quer que vejam. Para se proteger contra preconceitos e discriminação, revise suas contas públicas e remova quaisquer informações confidenciais, como seu status de relacionamento ou de deficiência. Mantenha suas contas pessoais de mídia social privadas e seja cauteloso com tudo o que posta. “Pergunte a si mesmo: ‘Quero que um empregador saiba isso sobre mim?’ Porque se você estiver usando seu nome verdadeiro, ele poderá ser descoberto.” O que você compartilha online pode funcionar tanto a seu favor quanto contra você, acrescenta ela. “E o mundo é um lugar pequeno.”

Continua depois da publicidade

Otimize seu perfil

Depois, concentre-se em aumentar sua visibilidade para potenciais empregadores, otimizando seu perfil no LinkedIn e em outros sites de networking. Laukkarinen explica que a chave é encontrar um equilíbrio que atraia tanto os recrutadores quanto os algoritmos. Em outras palavras, ele deve destacar sua experiência e conhecimento de uma forma que seja “acessível aos humanos, mas simples o suficiente para ser interpretada por uma máquina”. Para isso, ele recomenda analisar as ofertas de emprego das empresas-alvo e incorporar palavras-chave correspondentes em seu perfil e resumo. Orbé-Austin observa que à medida que sua carreira avança, sua abordagem ao seu perfil deve se adaptar. “Quando você é mais jovem, você dá mais detalhes sobre seus empregos e responsabilidades”, diz. À medida que você avança, seu perfil deve se tornar mais simplificado e “apresentar cargos, um resumo forte de suas realizações e palavras-chave relevantes”, analisa.

Expanda seu alcance

Desenvolver sua rede profissional nas redes sociais é um processo que você aprimorará ao longo de sua carreira, não apenas durante a busca ativa por emprego. A pesquisa de Laukkarinen destaca a importância tanto da quantidade quanto da qualidade: ter um número maior de contatos aumenta sua visibilidade para potenciais empregadores, ampliando sua capacidade de pesquisa por meio de ferramentas de busca e recomendação, enquanto conexões interpessoais sólidas têm mais probabilidade de apoiá-lo quando surgirem oportunidades. Orbé-Austin aconselha os recém-chegados ao mercado de trabalho a usarem os recursos de networking do LinkedIn durante a procura pelo emprego. “O LinkedIn é onde você entra em contato com qualquer pessoa com quem esteja associado remotamente”, diz ela. É uma plataforma para se conectar com pessoas como, por exemplo, os pais dos seus amigos – um conceito que pode ser inimaginável no Instagram ou no TikTok – que provavelmente estão bem conectados e podem fornecer insights e contatos em potencial.

Crie uma narrativa atraente

Anunciar sua procura por um emprego nas redes sociais é uma forma popular e eficiente de envolver sua rede para ajudá-lo a encontrar novas oportunidades. Orbé-Austin recomenda personalizar sua mensagem com base no estágio de sua carreira para ter o máximo impacto. “Desenvolva uma mentalidade de curadoria”, diz ela, e considere duas questões essenciais: “Que público estou tentando alcançar?” e “Que mensagem estou enviando?”

Continua depois da publicidade

Uma postagem singular sobre sua procura de emprego é um bom começo, mas o objetivo da mídia social é ser, bem, social. Postar de forma consistente – pelo menos semanalmente – manterá sua rede informada e participativa em sua busca por um emprego, diz Orbé-Austin. Suas postagens devem criar interesse e estimular conversas. “Quanto mais engajamento você conseguir em uma postagem, melhor será o alcance que ela terá.” Faça perguntas sobre sua área e setor e incentive o diálogo. Compartilhe atualizações sobre suas atividades, realizações e perspectivas sobre temas relevantes. Talvez você tenha participado de um painel ou esteja fazendo um curso on-line. “As pessoas querem ver coisas que sejam pessoais e que ofereçam uma janela para o mundo”, explica. “E sua rede gostará de comemorar suas vitórias.” Certifique-se de interagir com o conteúdo de outras pessoas também. “Você está tentando construir uma comunidade; ser comunitário.”

Esteja atento ao seu tom

Ao ver outras pessoas desabafando nas redes sociais sobre dificuldades na busca de emprego ou processos de entrevista em empresas, pode ser tentador compartilhar publicamente suas próprias frustrações, mas não faça isso. Você precisa estar atento ao seu tom e à percepção que empregadores em potencial podem ter sobre suas postagens, explica Orbé-Austin. “É bom ser honesto e falar sobre desafios, mas você deve enquadrar o que você está aprendendo e como está crescendo”, diz ela. Esforce-se para parecer positivo e otimista, demonstrando sua resiliência ao superar obstáculos, sem tiradas raivosas ou discursos retóricos. “Se você abordar a situação de forma agressiva, pode haver graves consequências em longo prazo”, diz ela. Laukkarinen concorda, apontando para pesquisas que sugerem que os recrutadores reagem desfavoravelmente a conteúdos potencialmente prejudiciais. “Quando os recrutadores selecionam os candidatos através das redes sociais, mesmo pequenos sinais de alerta podem ter grandes resultados”, diz ele.

Sustente sua presença nas mídias sociais

Orbé-Austin afirma que muitas pessoas negligenciam sua presença nas redes sociais depois de conseguirem um emprego. No entanto, permanecer ativo em plataformas como o LinkedIn pode mostrar o seu crescimento profissional e manter a sua rede engajada. Compartilhar atualizações e realizações de trabalho, como novos projetos, iniciativas ou promoções, não apenas demonstra seu valor para sua organização, mas também pode chamar a atenção de potenciais gerentes de contratação. E há outro bônus: você está compartilhando sobre sua empresa, então seu empregador agradece. “Pode parecer que você está só postando sobre seu trabalho diário, mas é interessante para os recrutadores e cria um registro de suas realizações.” Isso será útil quando você estiver procurando seu próximo emprego.

Continua depois da publicidade

HBR: ©.2024 Harvard Business School Publishing Corp./Distribuído por The New York Times Licensing Group

Read Entire Article