Tesla (TSLA34) corta preços na China após entregas diminuírem; ações caem 6%

1 year ago 118
Negócios
Veja o último resultado da Tesla (TSLA34)

Em nova medida, a Tesla (TSLA34) voltou a reduzir os preços dos seus automóveis vendidos na China. A decisão da companhia comandada por Elon Musk se dá após um recuo no volume de entregar de veículos fabricados em Xangai.

As ações da Tesla caem 6,3% nas negociações pré mercado da Nasdaq, ante uma queda de 2,3% no pregão da véspera. Nos últimos 12 meses, os papéis da empresa recuam 68%.

Em postagem numa rede social chinesa, a Tesla destacou que os preços cortados afetarão os dois carros mais populares no país, o Tesla Model 3 e o Tesla Model Y.

Os cortes nos preço dos carros da Tesla serão de 6% a 13%. Com isso, deixarão o Model 3 chinês cerca de 30% mais barato do que o feito nos Estados Unidos.

Tesla viu suas entregas caírem de 100 mil para 55 mil

As entregas da Tesla na China tiveram uma queda de quase 50 mil, saindo de 100 mil em novembro para 55,7 mil unidades em dezembro.

Além disso, as entregas também ficaram 21% abaixo do volume de entregas em igual período do ano anterior, conforme dados publicados pela associação chinesa de carros de passeio.

O número de dezembro foi o mais baixo desde julho, quando a produção da Tesla em Xangai foi suspensa para a renovação da fábrica local.

Veja o último resultado de TSLA34

A Tesla divulgará seu balanço financeiro referente ao quarto trimestre de 2022 no dia 25 de janeiro. No resultado mais recente, referente ao terceiro trimestre de 2022, a companhia de Elon Musk mostrou um lucro de US$ 3,292 bilhões – alta de 103% ante o mesmo intervalo no ano passado.

O resultado representa US$ 1,05 de lucro por ação, acima dos US$ 1 previstos pelos analistas consultados pelo The Wall Street Journal à época.

A receita da Tesla no período foi de US$ 21,454 bilhões, saindo de US$ 13,757 bilhões em igual período do ano passado.

A receita com automóveis teve alta de 55% na mesma comparação anual, a US$ 18,692 bilhões.

“Continuamos acreditando que as restrições da cadeia de suprimentos de baterias serão o principal fator limitante para o crescimento do mercado de veículos elétricos no médio e longo prazo. A volatilidade da logística e os gargalos da cadeia de suprimentos continuam sendo desafios imediatos, embora estejam melhorando”, disse a administração da companhia.

A Tesla, com isso, destacou que segue focada em “aumentar a produção de veículos o mais rápido possível”.

Com Estadão Conteúdo e Dow Jones Newswires.

Read Entire Article