Tesouro Direto: taxas de títulos de inflação batem 6,35%; mercado espera sinal do governo que afaste temor fiscal

1 year ago 132

O novo governo “chegou chegando”. No primeiro dia útil, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) exonerou 1.204 servidores que desempenhavam funções de confiança na gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). A informação foi confirmada na segunda-feira (2) pelo novo ministro da Casa Civil, Rui Costa (PT). E novas exonerações devem ser publicadas no Diário Oficial da União nos próximos dias.

Esse movimento, segundo o ministro, não deve gerar uma paralisação da máquina pública. Os cargos envolvidos, explicou, estavam concentrados em funções mais altas dos ministérios e da Presidência e eram todos comissionados.

As próximas indicações de cargos do novo governo para os escalões inferiores do Poder Executivo não vão se dar no estilo “porteira fechada”, expressão usada para indicar que um partido ou grupo político ocupará toda a estrutura da pasta. Quem afirma é a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, em entrevista exclusiva ao jornal O Globo. Segundo ela, novas nomeações de cargos no Planalto ainda serão negociadas.

São esperadas nesta terça-feira (3) as posses de mais ministros: do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho; da Pesca, André de Paulo; e do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Teixeira.

Os decretos de Lula, tirando oito empresas da fila da privatização, entre elas Petrobras e Correios, refletiram na Bolsa. O primeiro pregão do ano foi marcado por uma queda do Ibovespa de 3,06%, aliado ao risco fiscal e menor liquidez. O índice terminou o dia aos 106 mil pontos, enquanto o dólar subiu 1,4%, cotado a R$ 5,36.

O mercado espera alguma sinalização de que o novo governo não deve mostrar irresponsabilidade fiscal nesse início de gestão, após medidas preocupantes do ponto de vista da renúncia fiscal, como a prorrogação das isenções de impostos federais sobre a gasolina por dois meses e do diesel e gás de cozinha por tempo indeterminado.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Vimos, nos fechamentos de ontem, um grande estresse nos vértices. A volatilidade é causada por conta de posicionamentos do novo governo, no que se refere ao teto de gastos, ao avanço na reforma tributária junto a um novo possível arcabouço fiscal, assim como a revogação de inúmeros decretos do governo anterior”, diz Guilherme Mendes, especialista em Renda Fixa da Blue3 . Segundo ele, a expectativa para hoje é de que o prêmio seja mais equiparado e ainda bastante atrativo para o investidor, para o médio e longo prazos.

Às 9h20, o mercado de títulos públicos operava de forma mista. Os juros dos prefixados estavam em linha com o visto nesta segunda-feira (2). A única mudança era no Tesouro Prefixado 2033, com 12,94% ao ano, ligeiramente abaixo dos 12,95% da véspera.

Já os papéis atrelados à inflação apresentaram alta. A maior taxa real era oferecida pelo Tesouro IPCA+ 2026, no valor de 6,35% ao ano, superior aos 6,29% registrados na véspera.

Confira os preços e as taxas dos títulos públicos disponíveis para a compra no Tesouro Direto na manhã desta terça-feira (03): 

Tesouro DiretoFonte: Tesouro Direto

Prejuízo aos cofres públicos

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse na segunda-feira (2) que algumas das últimas medidas tributárias tomadas pelo governo Jair Bolsonaro (PL), no apagar das luzes de 2022, vão causar um prejuízo entre R$ 10 bilhões e R$ 15 bilhões aos cofres públicos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo o novo ministro, a equipe econômica do ex-presidente descumpriu o acordo de não adotar medidas com impacto grande nas contas públicas após a eleição de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Entre essas medidas estão a desoneração do querosene de aviação e cortes nas alíquotas do PIS/Cofins de bancos e grandes empresas.

Bolsas

O ano começa oficialmente hoje para a maioria dos mercados globais. E os indicativos são positivos após um 2022 difícil marcado por inflação alta, políticas monetárias restritivas e impactos diretos e indiretos da guerra entre Rússia e Ucrânia.

Nesta manhã, os índices futuros de Nova York e a maioria das Bolsas da Ásia voltaram do feriado prolongado de fim de ano em alta, mas à espera de indicadores econômicos agendados para esta semana.

Nos Estados Unidos, são esperados para quarta-feira a ata da última reunião do Federal Reserve do ano passado e a pesquisa de vagas de emprego e rotatividade de trabalho, mais conhecida como Jolts.

Também estão agendados vários discursos de presidentes do Fed para quinta e sexta-feira. Antes disso, serão conhecido hoje o PMI industrial referente a dezembro e os gastos com construção locais.

Read Entire Article