Touros do Bitcoin elevam mercado após semana de baixa – Análise Bybit

1 year ago 71

Depois de uma semana de baixa volatilidade e baixos volumes de negociação, os touros tiveram sucesso em elevar o preço do Bitcoin novamente acima de US$ 17.200 com uma alta de 2% abrindo a semana.

No entanto, a alta não pode ser vista como uma mudança de tendência, mesmo porque os níveis de negociação ainda estão baixos e, no cenário macroeconômico, nada ainda mudou. Além disso, ainda há diversos complicadores no mercado como a situação da Gênesis com a Gemini que ainda não foi resolvida e, ao que parece, não deve ser resolvida tão rápido como querem os investidores.

Nesta segunda, 09, outro fato também surgiu e que podem impactar o mercado: a SEC estaria investigando as ações do DCG, grupo controlador da Genesis e, possivelmente o maior conglomerado de empresas de criptomoedas do mercado. Possíveis problemas no DCG podem afetar o mercado ainda mais fortemente do que o caso da FTX.

Outro problema que surgiu esta semana foi com a Huobi, exchange comprada por Justin Sun, fundador da Tron e também dono da Poloniex. Em crise, a exchange demitiu funcionários, revisou seus protocolos de comunicação abrindo precedentes que preocupou os usuários. Sun disse que tudo está normal, mas o magnata cripto não é reconhecido no mercado por sua transparência e compromisso com a comunidade.

Outras empresas cripto também já sinalizaram com demissões, reorganizações e outras medidas para conter a ‘sangria’ do bear market. Um movimento em cadeia como esse sugere que os empresário cripto não estão esperando uma retomada de curto prazo e acreditam que o mercado de baixa deve durar por pelo menos uns 6 meses, por isso as demissões e reorganizações.

Olhando para os dados on-chain, com base em gráficos fornecidos pela FundStrat, vemos haver um suporte muito forte no nível de US$ 16.000 a US$ 16.500 apontando que o BTC não deve recuar abaixo destes níveis ao longo da semana. Pelo lado da resistência há também uma força forte entre US$ 17.300 e US$ 17.500, basicamente os mesmos níveis da semana passada.

Caso o mercado não se depare com novos problemas, a tendência é que um fundo seja formado neste níve de preço, tendo US$ 16.000 como seu ponto mais baixo e US$ 16.800 com seu níve médio, sugerindo que qualquer mergulho nestes patamares é uma oportunidade de comprar BTC com desconto.

Contudo, é preciso atenção, pois neste mês ainda temos a divulgação do relatório da inflação nos EUA, que fornece teoricamente uma entrada para os cálculos dos juros que serão divulgados pelo FED. Antecipando os dados da inflação americana, também podemos ficar de olho em outros anúncios esta semana como a taxa de desemprego na Europa, o Índice de Preços ao Consumidor de Tóquio e o nível de investimento estrangeiro na China.

Estes dados ajudam a fornecer uma snapshot de como anda a economia global, com nítido reflexo na economia americana e, como vimos ao longo de todo o ano passado, um impacto direto no preço do Bitcoin.

Portanto, qualquer queda para US$ 16 mil fornece uma oportunidade de compra e, qualquer alta acima de US$ 17.300 é uma oportunidade de venda. Dificilmente os níveis de suporte e resistência serão rompidos ao longo da semana.

Read Entire Article